Lesão Ligamento Colateral – Cirurgia e Tratamento em Curitiba

joelho tem uma função muito importante para os movimentos corporais sendo muito exigido na maior parte das modalidades esportivas, é uma articulação complexa que suporta grande quantidade de peso e realiza movimentos importantes. Os ligamentos são uma parte fundamental na estrutura da articulação responsável por estabilizar e proteger os ossos.

 Ligamento colateral (interno) do joelho

Os ligamentos colaterais controlam o movimento lateral e medial do joelho e previnem o movimento incomum, o mesmo ligamento une o fêmur e a fíbula ao joelho.

A lesão ao ligamento colateral é muito comum em várias modalidades esportivas, sobretudo os esportes de contato, como futebol e rúgbi. A lesão geralmente ocorre quando o atleta força o joelho para dentro, com um impacto que vem no sentido contrário, este movimento é chamado de “valgização” e quando o impacto é muito forte pode ocasionar o rompimento do ligamento.

As lesões no ligamento colateral possuem 3 classificações:

Grau 1: O ligamento é levemente danificado em um entorse. É um estiramento leve.

Grau 2: Referido como uma ruptura parcial do ligamento.

Grau 3: Ruptura completa do ligamento, tornando a articulação do joelho instável.

Sintomas:

A dor na região interna do joelho é um dos principais indicativos de lesão, outros sintomas são o inchaço e a presença de hematomas na região.

Durante o exame físico, o médico verifica todas as estruturas do seu joelho machucado e os compara com o seu joelho não lesionado. A maioria das lesões ligamentares pode ser diagnosticada com um exame físico completo.

Tratamento

Lesões do LCM raramente requerem cirurgia. Ao contrario do ligamento cruzado anterior, elas possuem excelente potencial de cicatrização. O tratamento basicamente incui:

Aplicação local de gelo: A maneira correta de gelo uma lesão é a utilização de gelo diretamente para a área lesada por 15 a 20 minutos.

Órtese: o seu joelho deve ser protegido contra a mesma força lateral que causou a lesão . Pode ser necessário alterar as suas atividades diárias para evitar movimentos arriscados. Para proteger ainda mais o seu joelho, pode ser dada muletas para mantê-lo sem colocar peso sobre a perna.

Fisioterapia: Envolve recursos analgésicos e que aceleram a cicatrização (ultrassom, laser, etc) e exercícios de fortalecimento

Infiltração: Reservada para os casos de dor persistente por mais de seis semanas. As vezes, mais de uma aplicação pode ser necessária.

Tratamento Cirúrgico

Reservada para a lesão grau III, principalmente para atletas do futebol, pois a instabilidade medial pode causar incomodo e impossibilitar o toque interno de bola.