Notícias

Atletas de uma maneira geral estão sujeitos a diversas lesões na coluna vertebral, sejam eles profissionais ou amadores. As mais comuns são as contraturas musculares e a sobrecarga dos ligamentos, mas as mais graves como as que envolvem os discos e compressão de raízes nervosas e até mesmo fraturas, podem acontecer durante a prática esportiva.

A incidência destas lesões em atletas de alto rendimento pode chegar a 15% aproximadamente e o aumento da prática de esporte de contato traz preocupação quando o assunto é o trauma na coluna.

A prática das modalidades

Em dezembro de 2017, na liga de futebol americano a NFL, Ryan Shazier, defensor do Pittsburgh Steelers, fraturou uma das vértebras durante o jogo, após um choque violento. Fatos como este levantam a questão sobre a segurança do esporte, principalmente pelo crescimento da sua prática no Brasil.

No começo, como amador, não era obrigatório o uso das proteções, mas logo isto mudou. Tendo em vista que tanto o futebol americano quanto o rugby são um esporte de contato e exigem o máximo das capacidades físicas dos seus atletas, as proteções viraram requisitos fundamentais.

Algumas situações de risco se apresentam durante uma partida, como a força de compressão axial para o topo da cabeça quando o pescoço está levemente flexionado. Este mecanismo pode levar a fratura de vértebra cervical e a uma compressão na região da medula. E, como consequência mais grave, pode ocasionar tetraplegia. Portanto, é importante que iniciativas de prevenção sejam divulgadas e assim reduzir as taxas de lesões no futebol americano e rugby praticados no Brasil. Fatores modificáveis que visam a proteção devem ser adotados.

Orientações

Todo jogador de futebol americano e rugby deve receber um condicionamento e fortalecimento dos músculos da cabeça e pescoço. As técnicas de bloqueio e combate devem ser ensinadas e seguidas pelos praticantes. A segurança deve ser sempre a prioridade tanto nos campos, quadras esportivas e nos parques da nossa cidade, com utilização de equipamentos adequados de proteção.

Procure um especialista

O Dr. Álynson Larocca Kulcheski (CRM 24934) é membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), membro da Sociedade Brasileira de Coluna (SBC) e membro da Sociedade Brasileira de Coluna Minimamente Invasiva (SBC.MISS).

1 Comentário

Deixe uma resposta