fbpx

Hérnia de disco cervical

Dor cervical na região do pescoço pode ocorrer devido uma hérnia de disco. Devemos ficar atento quando estas dores se tornam cada vez mais frequentes e sempre procurar avaliação medica especializada em episódios recorrentes de torcicolo. A manifestação com irradiação para os membros superiores é bem característica.

Além da dor no pescoço e a que se irradia pode haver em casos mais graves fraqueza nas extremidades dos membros superiores e também inferiores. Deve-se excluir um problema chamado de mielopatia, que é quando há uma compressão importante nas estruturas nervosas que progride para alterações neurológicas.

 

As causas mais comuns geradoras de dor na região cervical são: a lesão de músculos e estruturas que sustentam a coluna por mecanismo de repetição e fadiga. A grande maioria tem uma evolução benigna e mais de 50% melhoram em 4 semanas. Outras causas devem ser investigadas como trauma na coluna cervical em acidentes de trânsito (típico mecanismo de chicote), esporte de contato em que tenha havido lesão nesta região, quedas com envolvimento da região cervical e avaliar historia previa de dor neste local.

 

Incidência

Ë mais frequente por volta da 4ª década de vida e em torno de 40% dos adultos terá pelo menos 1 episódio de cervicalgia – dor na região do pescoço e coluna cervical.

O local mais acometido é o chamado nível C5-C6 que é também o local de maior mobilidade, responsável por grande parte do nosso movimento de flexionar a coluna, permitindo-nos olhar para baixo.

Os sintomas podem aparecer de forma aguda ou serem mais insidiosos e se manifestarem ao longo do tempo de forma mais arrastada.

Tratamento

O tratamento conservador é a regra. Quando a crise surge pode-se realizar uma imobilização provisória e por período determinado conforme orientação do seu medico. Medicamentos que auxiliam no conforto também são utilizados e devem ser orientados pelo seu médico e após a melhora inicial a reabilitação pode ser iniciada. Geralmente a fisioterapia é o passo inicial com duração individualizada, mas é indicada pelo período médio de 4 a 6 semanas seguida de orientação de atividade física.

Tratamento Cirúrgico

Indicações: fracasso no tratamento conservador por período variando de 4-6 semanas; mielopatia grave ou progressiva; crises recorrentes; dor intensa e intratável e diminuição da qualidade de vida.

Os melhores cirúrgicos são alcançados em pacientes não-tabagistas e com força muscular de preensão das mãos preservada, por isso da importância de buscar ajuda medica e orientação adequada logo no incio dos sintomas.

Existem diversas técnicas cirúrgicas disponíveis, dependendo da individualidade, das caraterísticas do paciente, das curvas da coluna cervical, indo desde procedimentos menos invasivos, quanto cirurgias abertas com fusões associadas.

 

Acesse outras matérias sobre o asssunto: http://curitibanewsprime.com.br/?p=21358

Procure um especialista

Dr. Alynson Larocca Kulcheski- CRM 24934. Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), Membro da Sociedade Brasileira de Coluna (SBC) e Membro da Sociedade Brasileira de Coluna Minimamente Invasiva (SBC.MISS)