Notícias

Fraturas na coluna vertebral são bastante comuns. Até 30% das fraturas podem passar despercebidas e é importante sabermos reconhecer como elas podem acontecer.

As fraturas na coluna vertebral geralmente ocorrem após traumatismos de alta energia, como quedas de altura, acidentes automobilísticos, traumas diretos.

Elas também podem ocorrer sem traumatismo importante em pacientes que apresentam condições que enfraquecem os ossos como é o caso da osteoporose.

local mais comum de fraturas é a região tóraco-lombar por ser um local de transição entre uma região mais rígida (coluna torácica) e uma região mais móvel (coluna lombar). Nos pacientes politraumatizados e em traumas de alta energia, é muito comum haver lesões associadas (pulmonares, abdominais e outras fraturas no esqueleto). O mecanismo de chicote em colisões traseiras afetam a coluna cervical na região do pescoço, local de lesões graves da coluna

É importante procurar um atendimento médico rapidamente caso algo parecido tenha acontecido com você para uma  adequada avaliação e tratamento. Cuide-se e fique atento a estas lesões, pois elas podem trazer graves sequelas.

Como prevenir e como tratar

Por grande parte das fraturas mais graves ocorrem devido a traumas de alta energia e até violência o principal nesses casos é prevenir e ter prudência. Nos casos de quedas de altura, sempre procurar se proteger e evitar riscos desnecessários. Nos acidentes automobilísticos , muita calma e fazer uma direção atenta. Para as fraturas de coluna vale aquele velho ditado “melhor prevenir do que remediar”.

Mas caso ela tenha ocorrido repouso e medicação podem aliviar a dor, mas não consertam a fratura em sua coluna. Se você foi diagnosticado com fraturas na coluna vertebral deve procurar avaliação de um medico especialista no tratamento desta lesão, pois as repercussões podem ser dramáticas.

Tratamento Conservador: Tratamentos tradicionais para dores nas costas e/ou fraturas espinhais podem incluir vários dias de repouso, analgésicos e, muitas vezes, o uso de órteses (coletes e colares) geralmente pelo período de 3 a 4 meses, dependendo do seu caso e da avaliação em conjunto com seu medico. Tratamentos mais conservadores podem reduzir o incômodo, e ajudam na consolidação da fratura, porem não é indicado para todos os casos, principalmente quando sua coluna esta instável ou apresente alguma alteração neurológica (da força e da sensibilidade principalmente).

Colar Filadelfia para coluna cervical                Colete de Jewett para a coluna Toracolombar

Tratamento cirúrgico: Quando há necessidade de estabilizar a coluna pelos traumas ocorridos deve se avaliar a necessidade da cirurgia. Usando istrumentação, como placas, parafusos e hastes este procedimento tem como objetivo estabilizar a coluna vertebral e proporcionar o alívio da dor, além de evitar a progressão da deformidade e da piora do quadro de alteração neurológica.

Procedimentos minimamente invasivos, como a vertebroplastia e a cifoplastia, podem reparar vértebras fraturas na coluna vertebral e reduzir sintomas dolorosos. O procedimento é muit utilizado em vertebras com fragilidade como é o caso da osteoporose.

Procure uma avaliação do medico ortopedista  da coluna para adequado direcionamento do seu tratamento.

Quais os riscos e consequências?

Fraturas na coluna sobrecarregam toda a estrutura do esqueleto e geram alterações das relações anatômicas normais.

A fratura tem a característica de vir acompanhada de dor. Porém, em alguns casos (principalmente em idosos), a dor pode não ocorrer de forma aguda e o paciente nem sempre percebe que um pequeno trauma pode ser a causa de uma lesão tão  importante, não procurando um serviço médico que possa trata-lo de forma mais rápida.

A fratura na coluna vertebral sempre traz o risco de perda de movimentos. Por sorte, apenas uma pequena parcela dos pacientes acaba passando por isso de fato. O risco maior é nos pacientes mais jovens, que foram vitimas de traumas de alta energia como acontece nos acidentes automobilísticos, nas quedas de altura ou ferimentos por agressões por exemplo. Muitas dessas situações poderiam ser evitadas e prevenir neste caso é a melhor solução.

 

A fratura, com o tempo e o tratamento adequado, tende a consolidar-se. Porém, em caso de alteração neurológica em que há perda ou diminuição da força e/ou da sensibilidade, as chances de reestabelecimento total são menores e dependem de uma serie de fatores.

 

Sem conhecer as técnicas corretas, deve-se evitar mexer numa pessoa logo após um trauma na coluna (um acidente qualquer, por exemplo), pois pode-se agravar uma fratura pela mobilização das estruturas que estavam acomodadas próximas à fratura. Ao presenciar um acidente, a melhor forma de ajudar é isolar o local e acionar os números de emergência de socorro (Ligue 190, 192 ou 193).

A vítima do trauma, caso esteja consciente, também deve evitar se mover. O correto é procurar permanecer calmo e aguardar a chegada do resgate, que realizará o atendimento adequado.

Procure atendimento medico do ortopedista de coluna para adequada orientação do seu tratamento e para que possa lhe explicar sobre seus riscos.

Procure um especialista

Dr. Alynson Larocca Kulcheski- CRM 24934. Ortopedista da Coluna. Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), Membro da Sociedade Brasileira de Coluna (SBC) e Membro da Sociedade Brasileira de Coluna Minimamente Invasiva (SBC.MISS)

 

Deixe uma resposta