Síndrome do Impacto do Ombro – Cirurgia e Tratamento em Curitiba

Uma das queixas mais comuns é a dor no ombro. O ombro é composto por articulações, ossos, tendões, músculos e ligamentos e, para que tenha amplo movimento, é necessária a harmonia entre essas estruturas. Como o ombro é a articulação do corpo humano com maior movimento e contém diversas estruturas anatômicas, é um lugar comum de diferentes problemas clínicos e consequentemente dor.

Para que alguém levante o braço, é fundamental que a principal articulação do ombro esteja com um bom funcionamento e isso requer musculatura e tendões adequados. Ao conjunto de músculos, ao redor da articulação, chamamos manguito rotador.

A bursa é uma bolsa, entre os músculos do manguito rotador e osso do “teto” do ombro, chamado acrômio e serve para favorecer o deslizamento das estruturas (como uma lubrificação), enquanto o braço se movimenta.

O manguito rotador e a bursa são locais frequentes de dor, podendo ser resultado de:

  • Tendinite do manguito rotador – os tendões podem estar inflamados;
  • Tendinopatia  do manguito rotador – a tendinopatia  do manguito rotador, podendo ser tendinopatia do supraespinhoso (um dos músculos do manguito rotador) e/ou dos outros ao redor, é um desgaste do tendão que ocorre com o tempo. Significa que já é um tendão doente.
  • Bursite –  a inflamação da bursa é dita bursite. Aparece como consequência do atrito entre o tendão do manguito rotador e o osso do “teto” do ombro surge. Bursite por si só, não deve ser dito como diagnóstico. A bursa é um  “alarme” do ombro e  deve-se buscar as causas da bursite.

Uma das causas da Síndrome do Impacto do Ombro é a alteração do osso chamado acrômio, que, como já citado anteriormente, é o “teto” do ombro e fica acima dos tendões do manguito rotador. Mudanças no contorno do osso, assim como um  “esporão”, podem estar presentes, diminuindo o espaço por onde o tendão passa, causando atrito. Movimentos com membro elevado, seja em esporte ou trabalho, geralmente desencadeiam os sintomas, que tendem a piorar pelo enfraquecimento da musculatura do manguito rotador. Uma lesão do manguito rotador pode estar associada. Nem sempre uma causa aparente está definida para essa situação clínica.

A dor pode ser leve na fase inicial, aumentando progressivo e muitas vezes piorando a noite, despertando o paciente durante o sono.

Em fase mais dolorosa, o paciente pode perceber que a força para levantar o braço já não é mais a mesma.

Durante a consulta, será avaliado grau de dor e de limitação e também com quais movimentos a dor piora.

Exames

Raio X

O exame de raio X auxilia no diagnóstico. Serve para afastar outras causas de dor, como tendinite calcária, artroses, etc. Além disso, algumas vezes é possível visualizar um “esporão” junto ao osso acrômio, que favorece o atrito com o tendão.

Ecografia/ ultrassom

Exame para avaliar grau de inflamação e se há alguma lesão do tendão do manguito rotador.

Ressonância magnética

Exame mais apurado para avaliação tanto do osso quanto dos tendões e inflamações. As caracteristicas da síndrome do impacto são tendinopatia do manguito rotador, bursite e cistos ósseos na cabeça umeral (osso do braço que se encaixa na articulação do ombro).

Tratamento da Síndrome do impacto do ombro

O objetivo do tratamento é aliviar a dor e restaurar a função.

Tratamento não cirúrgico

O tratamento da síndrome do impacto é, na maioria das vezes, não cirúrgico. O tempo de tratamento varia de semanas a meses. Um conjunto de medidas para que tenha alívio da dor e retorno às atividades são prescritas:

  • Deixar de fazer esforço, principalmente aqueles que exigem braço elevado;
  • Preferir atividades físicas que não seja feito exercício com braço elevado acima do nível do ombro;
  • Analgésicos e antinflamatorios;
  • Calor ou gelo: o resultado, tanto do gelo, como do calor, costumam ser semelhantes, sendo indicado qual traz mais alívio da dor ao paciente.
  • Medicações injetáveis como corticoides, podendo ser em glúteo ou aplicado como infiltração no próprio ombro
  • Fisioterapia: dividida em etapas, a fisioterapia inicialmente busca o alívio da dor e manter o movimento do ombro. Após melhora do quadro doloroso, a busca é por reforço da musculatura do interior do ombro (manguito rotador)

Cirurgia para Síndrome do impacto do ombro em Curitiba

Se o tratamento clínico proposto não trouxer bons resultados, a cirurgia está indicada. Realizada com auxilio de uma câmera (artroscopia), a cirurgia é feita com mímios cortes na pele (somente para a entrada da câmara e instrumentos e tem como finalidade ampliar o espaço por onde o tendão passa, desbastando o osso acrômio (“teto” da articulação), em um procedimento chamado acromioplastia. Além disso, é feita uma remoção de parte da bursa inflamada. Procedimentos complementares podem ser realizados no tendão do bíceps (que cruza a articulação), em algum tendão do manguito rotador, ou até mesmo para a artrose acromioclavicular.

Após o procedimento, uma tipoia é usada por 2-4 semanas e logo é iniciada a reabilitação. Geralmente leva de 2-4 meses para que se obtenha alívio completo da dor, mas pode, em alguns casos, passar dos 6 meses.